71ª Conferência Distrital Distrito 1960 - Abertura de Trabalhos Sessão III Governador Distrito 1960 COmpanheiro Abílio Lopes

 

No período da tarde do dia 6 de Maio, a abertura da terceira sessão de trabalhos esteve a cargo do Governador Abílio Lopes, que fez um balanço do ano rotário 2016-2017 em várias ênfases.

Em primeiro lugar, falou acerca da Juventude e das Novas Gerações, agradecendo a presença da Representante e da Past-Represente de Rotaract e Interact e do Distrito 1970 e sublinhando que não faz qualquer distinção entre a juventude do Distrito 1960 e a juventude do Distrito 1970, até porque testemunhou uma grande união, partilha e trabalho em conjunto dos jovens dos dois Distritos, um exemplo que considerou que seria muito bom ser seguido por todos os rotários. “Acredito que é com esta juventude que o nosso país vai ter sucesso no futuro, estamos a trazer jovens com novas ideias, que acompanhadas da nossa experiência, vão tornar o movimento mais aberto e com um futuro promissor”, afirmou.

Relativamente ao Quadro Social, que considerou ser a Comissão Distrital mais importante porque sem pessoas não há clubes e em Rotary os clubes são soberanos, o Governador Abílio Lopes explicou que nas suas Visitas Oficiais nunca pressionou os clubes a admitir mais companheiros, porque se o número de companheiros de um clube for suficiente para as actividades que o mesmo quer desenvolver, então não é obrigado a crescer a qualquer custo. No entanto, se os clubes acharem que necessitam de mais companheiros, devem admitir pessoas que queiram de facto ser rotárias e que tragam mais-valias ao clube. O Governador afirmou que, apesar da importância do crescimento e do aumento da massa crítica dos clubes, a retenção assume um papel mais relevante, na medida em que é importante continuar com companheiros que têm vários anos de experiência, e quando eles mostram vontade de sair, é preciso perceber quais são as suas motivações e aquilo que sentem em relação ao seu papel no clube.

As Novas Tecnologias foram uma das ênfases para este ano de Governadoria, porque no início do ano rotário o Distrito 1960 estava muito atrasado nesta área: de um total de 1300 companheiros, apenas 20% estava inscrito no My Rotary, o que, nas palavras do Governador, “dava uma imagem menos boa a Rotary International, uma imagem de que não estamos interessados naquilo que se passa no movimento. Felizmente, com um grande trabalho de informação, aliado a um pouco de pressão, estamos hoje num patamar mais elevado no número de inscritos”, frisou.

Ainda no que diz respeito às Novas Tecnologias, foi abordada a necessidade de os clubes registarem os seus trabalhos na plataforma do Rotary Central, “porque um clube até pode ser extraordinário, mas se não colocar o que faz no Rotary Central, então não existe”, afirmou o Governador Abílio Lopes, falando também da distribuição da informação através do Inforotary e do Facebook.

Relativamente às contribuições para a Rotary Foundation, o Governador Abílio Lopes referiu que, para além da Polio, é igualmente necessário contribuir para o Fundo Share, pois é esse fundo que permite obter retorno para os projectos do Distrito 1960, concretamente através dos subsídios.

O Governador Abílio Lopes explicou as motivações que o levaram a apresentar a candidatura a Governador: “acreditei que seria capaz de desempenhar a função com a dignidade que o Distrito merece”, e a escolher Albufeira para a realização da Conferência, por ser um clube pelo qual tem muito apreço e que desenvolve um excelente trabalho na comunidade.

Fazendo a introdução à sessão de trabalhos, de apresentação das actividades levadas a cabo por cada uma das Comissões Distritais, o Governador Abílio Lopes deixou o repto: “tenho a certeza que vão ficar ainda mais orgulhosos de ser rotários e de pertencer ao Distrito 1960 quando ouvirem aquilo que foi feito no nosso Distrito”.