Projeto de dois anos concluído com sucesso: Bombeiros de Alter do Chão receberam mais seis equipamentos de proteção individual para combate a incêndios

O objetivo de entregar 12 equipamentos de proteção individual para combate a incêndios aos Bombeiros Voluntários de Alter do Chão foi atingido no último fim-de-semana de maio, com a entrega dos 6 últimos equipamentos àquela corporação do norte alentejano.


A conclusão da segunda fase do projeto apresentado à Fundação Rotária Portuguesa (FRP), e aprovado por esta instituição, teve como mentora Manuela Branco, do Rotary E-Club Portugal D.1960. A iniciativa contou com o envolvimento e o entusiamo dos jovens do Rotaract Club da Amadora e do seu clube patrocinador, precisamente o E-Club Portugal D.1960, que na cerimónia que decorreu nas instalações dos Bombeiros Voluntários de Alter do Chão, esteve representado por Elisabete Ferreira.


A cerimónia foi presidida pelo presidente da direção da corporação, Emílio Ribeiro, que esteve acompanhado da presidente do Conselho de Administração da FRP, Teresa Mayer, pelo comandante da corporação, José Vargas e por Francisco Pimenta, segundo comandante.

 

«Hoje é o dia de sorrir por ver este sonho realizado»

A cerimónia, que decorreu de forma informal, foi conduzida por Manuela Branco, a grande impulsionadora e responsável pelo sucesso deste projeto, que na primeira fase envolveu os Rotaract Club da Amadora, Rotaract Club de Castelo Branco, Interact Club de Tavira e Interact Club de Castelo Branco, clubes dos quais é sócia-honorária.


A rotária, visivelmente contente, deu por concluído o projeto que durante dois anos envolveu um conjunto de clubes de jovens que souberam dar resposta positiva aos anseios da corporação de bombeiros.


Na curta intervenção que proferiu Manuela Branco resumiu todo o processo lembrando Miguel Real Mendes, past-governador do D. 1960 e o presidente dos bombeiros Emílio Tavares, que segundo disse são “os culpados de eu estar aqui”.


Relembrou a forma como o processo deste projeto começou e sublinhou que «hoje fechei uma página de uma vida repleta de outras tantas em branco. Por ter estado no embrião deste projeto, por ter feito arrancar e prosseguir com os melhores. E os melhores são aqueles que estão aqui hoje e os que já estiveram da primeira vez. Hoje é o dia de sorrir por ver este sonho realizado».


Manuela Branco agradeceu a Teresa Mayer, presidente da FRP, «por ter permitido avançar» e à «juventude rotária por ter ajudado a fazer acontecer este sonho. E obrigado ao presidente dos Bombeiros de Alter do Chão por me ter confiado este projeto».


«Hoje sou muito mais feliz do que era há um ano atrás. Muito mais feliz do que fui ontem porque o ‘Mundo só pode ser/melhor do que até aqui/quando consigas fazer/mais pelos outros que por ti’», concluiu citando António Aleixo.


André Pinto, presidente do Rotaract Club da Amadora, na intervenção que proferiu, agradeceu a participação de todos os companheiros do seu club e do clube padrinho Rotary E-Club Portugal D.1960 e também a Manuela Branco «pelo desafio lançado ao clube». Estendeu ainda o agradecimento e apoio prestado pela Fundação Rotária Portuguesa; desejou as «maiores felicidades» à Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alter do Chão e sublinhou o «excelente trabalho» que «desempenham em prol da comunidade».

 

Maior segurança no combate a incêndios

José Vargas, comandante da corporação agradeceu a «dádiva que nos deram» sublinhando que são equipamentos que vão permitir que os bombeiros «tenham segurança em termos de combate a incêndios florestais».


Por seu lado, Teresa Mayer, em representação da FRP agradeceu a forma agradável como sempre foi recebida pela corporação de Bombeiros de Alter do Chão. Dirigindo-se aos jovens agradeceu-lhes e sublinhou que «se não passarmos os nossos valores aos jovens o nosso futuro fica comprometido. A Educação faz-se pelo exemplo e não pelas palavras». Sublinhou a necessidade dos clubes de jovens não se «fecharem» no seio dos seus clubes e dos clubes padrinhos e que procurem encetar parcerias com outros clubes, como foi este o caso em que estiveram envolvidos jovens da Amadora, Tavira e Castelo Branco (na primeira fase do projeto).


«Nada se faz sozinho e vocês têm de saber lidar com a abertura que nem sempre é fácil porque são maneiras de ser diferentes, mesmo sendo portugueses e estando dentro do rectangulozinho de Portugal, nós todos pensamos de maneira diferente. E o respeito pelas nossas ideias e o respeito pelas ideias dos outros é que levam a que os projetos sejam concluídos.


Teresa Mayer que é membro do Rotary E-Club Portugal D. 19609 agradeceu ainda ao seu clube por ter participado nesta segunda fase do projeto que permitiu entregar mais seis equipamentos de proteção individual para combate a incêndios.


Dirigindo-se aos bombeiros agradeceu a intervenção ativa que têm na comunidade de Alter do Chão ou em qualquer outro local do país.

 

«Ainda bem que existe a Fundação Rotária»

Emílio Ribeiro, presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Alter do Chão agradeceu, sensibilizado, a Manuela Branco «que teve o incentivo, o impulso» de conseguirmos estes 12 fatos, não esquecendo os jovens do Rotaract de Amadora, Tavira e Castelo Branco, bem como a Fundação Rotária Portuguesa.


Os fatos constituem «uma mais valia para nós. O investimento que foi feito nós também o poderíamos fazer, mas só a longo prazo, não tínhamos capacidade financeira para durante um ano comprarmos 12 fatos para combate a fogos florestais. Ainda bem que existe a Fundação Rotária, ainda bem que existem pessoas como a Manuela, como a Teresa e todos os jovens que fazem parte dos outros clubes rotários a nível do país».


Terminou deixando o repto para a futura aquisição de fatos de proteção individual para combate a fogos urbanos.
No decorrer da sessão foram trocadas lembranças entre todos os parceiros desta ação.


Antes da cerimónia a comitiva rotária participou numa visita às instalações do quartel dos bombeiros, e ao parque de viaturas, orientada por José Vargas, que aproveitou para mostrar a última aquisição da corporação. Uma ambulância de socorro, entregue pela Autarquia de Alter do Chão à corporação, no dia do Município (25 de maio), que reforça o parque de viaturas daqueles bombeiros, e que foi benzida por monsenhor Paulo Dias, da paróquia de Alter do Chão.