Novo Conselho de Administração da FRP já tomou posse

A sessão de tomada de posse do novo Conselho de Administração (CA) da Fundação Rotária Portuguesa (FRP) teve lugar no passado sábado (24 de Fevereiro), na sede da FRP, na Rua João Machado, em Coimbra, no decorrer da primeira reunião daquele órgão após ratificação do Conselho de Presidentes em encontro realizado, também em Coimbra (3 de Fevereiro).
Tomaram posse: Alberto Luís Mourão Soares Carneiro (RC Paredes, governador Distrito 1970), presidente; vice-presidente, Afonso Manuel Vieira Oliveira Malho (RC Moita, governador Distrito 1960) e os demais administradores, presentes ao ato.
Na mesma sessão assinaram também o livro de tomada de posse os elementos que integram o Conselho de Fiscalização: José Augusto Rodrigues da Costa (RC Estarreja) e António de Jesus Nunes (RC Cascais-Estoril). António Manuel de Sousa Fortunato (RC Montijo), presidente do Conselho de Fiscalização, não esteve presente, tendo justificado a sua ausência, pelo que assinará o termo de posse em próxima reunião.
Da agenda de trabalho da reunião do CA constava ainda a eleição da Comissão Executiva (CE) da Fundação Rotária Portuguesa, órgão que irá gerir o “dia-a-dia” da instituição. O resultado da votação determinou que a CE integra: José Matias Charneca Coelho (RC Setúbal), como presidente da Comissão Executiva, sendo os restantes membros Armindo Lopes Carolino (RC Pombal), José Manuel Nunes Romão (RC Cascais-Estoril), Luís Filipe Besteiro Ribeiro (RC Coimbra-Santa Clara) e José Ribeiro Ferreira (RC Coimbra).

 

Competências da Comissão Executiva

A Comissão Executiva (CE) da FRP surge no âmbito da aplicação dos novos Estatutos da instituição, aprovados pela Tutela a 24 de Novembro de 2017 e é constituída por cinco elementos dos nove administradores sufragados pelo Conselho de Presidentes e o seu presidente é indicado pelo Conselho de Administração.
Tal como constante nos novos Estatutos a este órgão compete “a gestão corrente” da FRP bem como todos os atos que não estejam pelos presentes estatutos atribuídos aos Conselhos de Administração, Fiscalização, Curadores ou Presidentes cabendo-lhe, ainda, exercer por delegação de poderes, aqueles que lhe forem outorgados pelo Conselho de Administração (CA).