Visita Oficial do Governador ao Rotary Club de Lisboa-Internacional

No passado dia 09 de Novembro, realizei a minha Visita Oficial ao Rotary Club de Lisboa-International, na qual fui recebido pelo Presidente, Companheiro Jean-Pierre Bloch.

Na reunião com o Conselho Director, que teve início cerca das 18h30 na sede do clube, na York House, foi apresentado o relatório de actividades dos primeiros cinco meses do clube, que recebeu a sua Carta Constitucional no dia 18 de Junho de 2016. Para além das actividades já realizadas, como o Torneio de Petanca no passado dia 29 de Outubro, foram também apresentadas as actividades que ainda se vão realizar este ano, como  palestras sobre temáticas como o clima, o meio-ambiente, a Bolsa e as grandes famílias de Portugal e o vinho da região de Borgonha; visitas de cariz cultural; recepção aos companheiros do Rotary Club de Oslo; projecto Bengaleiro Social (no Centro Social da Costa da Caparica); contacto próximo e directo com a delegação de Lisboa da Cruz Vermelha Portuguesa; realização de dois concertos no mês de Maio do próximo ano e interacção com outros Rotary Clubs, nomeadamente com o clube padrinho, o Rotary Club de Lisboa-Belém.

Foi também abordada a questão do Quadro Social, sendo o Rotary Club de Lisboa International o maior clube de Lisboa, constituído por 40 companheiros de várias nacionalidades, com maior predominância da nacionalidade francesa.

Pelas 20h30, realizou-se na York House o jantar festivo, no qual estiveram representados os clubes de Lisboa-Belém, Lisboa-Benfica (Companheiro Past-Governador Miguel Real Mendes), Lisboa- Centennarium, Mafra e Tavira (Distrito 1960) e o Rotary Club da Maia (Distrito 1970).

Foi um extraordinário jantar, repleto de momentos de salutar companheirismo e convivência, cujo ponto alto foi a emblemagem de cinco novos membros e que culminou com a habitual troca de lembranças, tendo oferecido ao Companheiro Jean-Pierre Bloch uma placa alusiva ao lema do Presidente de Rotary Internacional, John Germ, para este ano rotário: “Rotary a Serviço da Humanidade”, que gentilmente retribuiu com a oferta de uma belíssima garrafa de vinho francês.