Companheira Isabel Lopes marcou presença no Conselho Distrital de Rotaract e Interact do Distrito 1960

 

O Conselho Distrital de Rotaract e Interact do Distrito 1960 realizou-se no passado dia 16 de Outubro, e nele marcou presença, para além das Representantes Distritais, Companheira Diana Nicolau (Lisboa) e Mariana Afonso (Tavira), respectivamente, a Companheira Isabel Lopes, esposa do Governador Abílio Lopes.

A ordem de trabalhos iniciou-se com a aprovação do relatório de contas do ano rotário transacto, de seguida debateu-se a organização da Conferência Distrital, que estará a cargo do Rotaract Club de Abrantes e do Congresso Nacional do próximo ano rotário, sendo que, não tendo havido nenhuma candidatura prévia, os Rotaract Clubs de Cascais-Estoril e Sintra manifestaram interesse em organizar.

Ficou ainda decidido que o Rotaract Club de Lisboa-Norte vai dinamizar um workshop de comunicação para rotaractistas e interactistas, e a Companheira Inês Faustino, do Interact Club de Castelo Branco foi nomeada a próxima representante distrital de Interact.

Na sua intervenção, a Companheira Isabel Lopes fez uma apresentação do seu projecto dos cônjuges, intitulado “Mames e Mininus”, começando por recordar as áreas de enfoque do Rotary: paz e prevenção/resolução de conflitos, prevenção e tratamento de doenças, recursos hídricos e saneamento, saúde materno-infantil, educação básica e alfabetização e desenvolvimento económico e comunitário.

No dia 5 de Maio deste ano foi assinado um protocolo entre o Rotary e a Estímulo, uma Organização Não Governamental que, vocacionada para apoiar e desenvolver projectos nos Países Oficiais de Língua Portuguesa (PALOP), tem como missão a educação e a formação, sendo que este projecto tem como objectivo promover a saúde materno-infantil em São Tomé e Príncipe. O protocolo entrou em vigor no dia 1 de Julho deste ano e terminará oficialmente no dia 30 de Junho de 2017, já tendo sido estabelecidos contactos com os Governadores Eleito e Indicado, Companheiros Afonso Malho e a Companheira Ilda Braz, respectivamente, para que o mesmo possa ter continuidade nos próximos anos rotários.

No âmbito do trabalho desenvolvido pela Companheira Isabel Lopes, verificou-se que a mortalidade infantil à nascença em São Tomé e Príncipe tinha índices muito elevados, não só devido ao isolamento da população, como também associado a problemas de saúde materna, nomeadamente à falta de condições sanitárias no momento do parto, que causam a morte de mães e crianças e a falta de conhecimentos médicos dos técnicos de saúde e das parteiras, responsáveis pelo nascimento dos bebés. Assim sendo, este projecto pretende dar um apoio inestimável nesta área, através da entrega de kits de parto, compostos pelo material básico a utilizar, mas também promover uma formação com uma componente de cuidados primários de saúde, para que os técnicos possam intervir nas comunidades e ainda a criação de um banco de leite.

O projecto “Mames e Mininus”, inicialmente pensado apenas para uma localidade, foi, depois de apresentado à Ministra da Saúde, alargado a um Distrito completo de São Tomé e Príncipe, o Distrito de Lembá, o segundo maior em termos de extensão.

A Companheira Isabel Lopes afirmou que este projecto pretende “colocar o Distrito 1960 a pensar como um todo e a agir internacionalmente, porque o Rotary é um movimento internacional” e estabeleceu como prioridades no terreno a mudança de mentalidades.