71ª Conferência Distrital Distrito 1960 - Comandante José Mesquita - Apresentação do Projeto David Melgueiro

 

O Comandante José Mesquita, Capitão da Marinha mercante e de pesca, é especialista em Gestão de pescaria, monitorização e controlo das pescas. Já desempenhou funções enquanto funcionário da Comissão Europeia da Direcção-Geral das Pescas, entre 1988 e 2012, integrou o plano de controlo de pescas na zona da NAFO – Northwest Atlantic Fisheries Organization, o plano de recuperação do atum no Mar Mediterrâneo, o plano de controlo de pescarias no Báltico e Mar do Norte e participou em quatro campanhas de pesca do bacalhau, na Terra Nova e na Gronelândia.

O convidado, que é também Presidente da Associação David Melgueiro, esteve na Conferência Distrital precisamente para apresentar o projecto Expedição Marborealis, um projecto “de muita ambição e que inicialmente parecia um projecto de impossibilidades”, afirmou, explicando que tudo começou exactamente com a formação desta Associação, cujo principal objectivo é a criação de meios de apoio à realização de actividades científicas e técnicas. Em Portugal, havendo 1500 investigadores e 3000 cientistas na área do mar, não há meios disponíveis para que possam auscultá-lo.

A Associação David Melgueiro tem três projectos fundamentais a seu cargo: um projecto de literacia que está a funcionar há dois anos com pequenos veleiros e que aposta na sensibilização ambiental no Estuário do Tejo; a realização da Exposição “Oceano, Mar é Vida”, que foi inaugurada em Oeiras e está neste momento a percorrer vários pontos do país; e, por fim, aquele que é o grande projecto, a Expedição Marborealis, que foi apresentado pela primeira vez há cerca de três anos, no Rotary Club de Peniche e que o Comandante José Mesquita acredita que “pode fazer a diferença e levar Portugal ao Mundo”.

“Os oceanos estão doentes, não há dúvida, e os médicos são a ciência e o conhecimento”, afirmou o palestrante, abordando também a questão da negociação da extensão da plataforma marítima portuguesa numa visão menos positiva, porque considerou que quando Portugal for “proprietário do fundo do Mar, com uma extensão tão grande como a superfície da Índia, teremos de ser capazes de provar que não vamos contaminar os ecossistemas, e para mexer no Mar temos de te não só cientistas capazes, como também meios financeiros, que sejam baratos e acessíveis”.

Indo ao encontro do que foi explicado pelo Professor Doutor Pedro Viterbo, o Comandante José Mesquita falou das alterações climáticas e das anomalias que se têm registado e que estão a comprometer o normal funcionamento dos sistemas. Estas anomalias incluem a verificação de temperaturas acima dos 50 graus, o atum estar actualmente a passar nas Berlengas, quando o normal é passar a 200 milhas da costa portuguesa, as águas do Estuário do Tejo registarem temperaturas de 27 graus e em pleno mês de Agosto estar mais calor em Peniche do que no Algarve. Posto isto, o Comandante José Mesquita referiu: “o século XXI é o século do desafio para os nossos filhos, netos e bisnetos, temos a responsabilidade de salvar o planeta”.

A Associação David Melgueiro pretende, com um veleiro de cerca de 23 metros, fazer uma reconstrução histórica de quatro viagens: a de Pedro Álvares Cabral até ao Brasil, a de Vasco da Gama até à índia, a de Jorge Álvares até à China e a viagem de David Melgueiro através do Ártico até Portugal. Nesta reconstrução, que inclui a paragem em 50 portos marítimos no Mundo inteiro, o Presidente da Associação David Melgueiro explicou que vão embarcar jovens cientistas para criar estações de investigação. “Só dessa forma, auscultando os oceanos, podemos dizer que somos um povo de marinheiros”, afirmou.

O Comandante José Mesquita concluiu: “é para nós um desafio poder ter a honra de levar nesta viagem o símbolo rotário através de todo o Mundo, vou mostrar-vos um vídeo que explica por que motivo tive o arrojo de considerar que este projecto era também um projecto de todos vós!”.